Plural, lúdico e híbrido: Festival Arte no Parque oferece atividades gratuitas

Postado em Atualizado em

Fotografia, cinema, música e artes visuais integram a 1ª edição do festival, que acontece de 19 a 24 de janeiro no Sítio Trindade, no bairro de Casa Amarela

Foto: Luciana Ourique
Foto: Luciana Ourique

O Sítio Trindade, no bairro de Casa Amarela, no Recife, receberá a primeira edição do Arte no Parque entre os dias 19 e 24 de janeiro de 2016 (de terça-feira a domingo). O festival idealizado pela fotógrafa e produtora cultural Luciana Ourique conta com incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), do Governo do Estado de Pernambuco. O objetivo é estimular o desenvolvimento da cultura, da inclusão social, da acessibilidade e da troca de conhecimento através das artes integradas. A programação gratuita, e para toda a família, proporcionará atividades nas áreas de fotografia, cinema, música, artes visuais e literatura.

Plural, lúdico e híbrido, o Arte No Parque já chega com uma programação diversificada e com conteúdo relevante em sua primeira edição. “A ideia é passar um dia produtivo no parque, num local aberto e arborizado, com muita arte envolvida. É provocar um clima de exteriorização coletiva da diversão, cultura, música e todos os desdobramentos emocionais e culturais que a arte pode promover”, explica a produtora cultural Luciana Ourique.

Fotos: Adolfo Sonteria (Maciel Salú) e Diego Di Niglo (Isaar)
Fotos: Adolfo Sonteria (Maciel Salú) e Diego Di Niglo (Isaar)

O Arte no Parque oferecerá uma série de atividades como oficinas, projeções de fotografias e vídeos, mostra de cinema, exposição, performances artísticas e muita música. A área musical é um dos grandes destaques. O público poderá aproveitar apresentações diversificadas e com foco na música instrumental.

Foto: Vládia Lima
Foto: Vládia Lima

O festival terá em sua programação as apresentações do projeto Batuqueiros do Silêncio, do percussionista Gilú Amaral, dos cantores Isaar & Maciel Salú, da cantora Lu Rabelo, do trio de jazz Inconsciente Coletivo e do projeto Areia & Grupo de Música Aberta (foto).

Brinquedo Monstrinho
Brinquedo Monstrinho

Para ensinar, o Arte no Parque conta com um time especial de artistas e outros profissionais conhecidos nacionalmente. As atividades educativas no Sítio Trindade serão ministradas pelo fotógrafo GHustavo Távora, professor e cineasta Marcelo Paes de Carvalho, designer e grafiteiro Johny C., artista visual Lia Letícia, VJ Mary Gatis, fotógrafa Ivana Borges, entre outros nomes.

As ações educativas serão oferecidas durante os dias de semana, tendo a culminância no final de semana. Já a programação com vivências, intervenções urbanas, performances, contação de histórias (com tradutor de Libras), workshops e shows será realizada durante o final de semana (23 e 24 de janeiro).

Foto: GHustavo Távora
Foto: GHustavo Távora

Para participar das oficinas, o interessado deverá efetuar a sua inscrição antecipadamente no http://www.festivalartenoparque.com.br/cadastro/. Exclusivamente para estas ações educativas, o Arte no Parque oferece 20 vagas por atividade, que serão preenchidas por ordem de inscrição. As demais atividades são abertas ao público. Então é só chegar no dia e no horário marcados e participar.

Para completar a programação, o festival recebe a “Feira Arte No Parque”, nos dias 23 e 24 de janeiro (sábado e domingo). Com uma agenda recheada de literatura e artes visuais, a iniciativa terá a comercialização de livros, objetos de arte, fotografias, entre outros produtos. A atividade será uma boa oportunidade para incentivar o consumo consciente, além de conhecer o trabalho de produtores locais independentes.

E para garantir ainda mais conforto ao público, o Arte no Parque também terá uma área dedicada à alimentação. Várias food bikes participarão do evento com suas comidinhas. No cardápio, apenas opções saudáveis de alimentos e sucos. E esta será também uma ótima oportunidade de conhecer e adquirir produtos locais.

Meio ambiente

Foto: Eduardo Rodrigues
Foto: Eduardo Rodrigues

Seguindo a proposta de ensinar, o Arte No Parque pretende despertar em crianças e adultos questões relevantes relacionadas ao nosso planeta. Para isto, o festival abraça a luta contra o desmatamento oferecendo atividades relacionadas à natureza. Em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade o festival vai oferecer ao público, no sábado (23), às 16h, vai distribuir e ensinar como plantar mudas de árvores floríferas. Assim, as pessoas que participarem da atividade poderão replicar e compartilhar os conhecimentos adquiridos.

A escolha deste tipo de vegetação foi realizada em conjunto com os gestores do Sítio Trindade, já que as árvores da área, em sua maioria, não são floríferas. Ou seja, além de aproveitar a programação do festival, o público vai contribuir para deixar o local ainda mais agradável e bonito. E como é importante dar o exemplo, esta ação também serve de contrapartida do Arte no Parque para reverter o uso de papéis impressos que serão utilizados durante a realização do evento.

Sítio Trindade

Foto: Eduardo Rodrigues
Foto: Eduardo Rodrigues

A escolha do Sítio Trindade para receber a primeira edição do Arte no Parque aconteceu por diversos fatores. Entre os motivos mais relevantes estão o fato do local ser apropriado para o desenvolvimento de ações de formação e artística nas diversas linguagens culturais oferecidas pelo festival e do espaço ser uma área tombada como patrimônio histórico pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), devido ao seu conjunto paisagístico e arquitetônico.

Segundo as informações da Prefeitura do Recife (PCR), o sítio histórico possui 6,5 hectares de área verde, onde está instalado um chalé de 600 m², que hoje é utilizado como espaço para a realização de atividades culturais. Ou seja, o Arte no Parque vai unir a vocação acolhedora do Sítio Trindade a uma programação diversificada, educativa e aberta ao público.

Mobilidade

Além de arborizado e agradável, o Sítio Trindade ainda tem outros atrativos. O local é de fácil acesso, tanto a pé como de ônibus, com pontos de parada bem na frente. E também é bem acessível para quem curte andar de bicicleta, já que a Estrada do Arraial integra a malha cicloviária do Recife. Por isso, o Arte no Parque incentiva seu público: venha aproveitar a programação gratuita a pé, de ônibus ou bicicleta.

Acessibilidade

Outra preocupação do Arte No Parque é com as questões da inclusão e da acessibilidade. Nas atividades realizadas por Adélia Flor e a Turma Mangue e Tal, o público terá tradução para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Pessoas com deficiência motora e que não têm condições de se deslocar para o evento contarão com o serviço de transfer com van adaptada para buscá-las em suas casas no Recife. Para utilizar o serviço, basta o usuário efetuar o cadastramento previamente. Para isto, basta acessar o link http://www.festivalartenoparque.com.br/cadastro/, preencher o formulário e lembrar de marcar a opção “Sim, necessito do serviço de transfer”.

Serviço:
Arte no Parque
Quando: de 19 e 24 de janeiro de 2016 (de terça-feira a domingo)
Onde: Sítio Trindade (Estrada do Arraial, s/n, Casa Amarela – Recife)
Entrada: gratuita
Email: festivalartenoparque@gmail.com
Programação e inscrições: http://www.festivalartenoparque.com.br
Redes sociais: fb.com/festivalartenoparque e instagram.com/artenoparque

Programação – Arte no Parque
De 19 e 24 de janeiro de 2016 (de terça-feira a domingo)

OFICINAS e WORKSHOPS – Com inscrição prévia*

Oficina Criativa de Fotografia | Ghustavo Távora | 14h às 18h
Dias: 19, 20, 21, 22, 23 e 24 (de terça-feira a domingo)
Objetiva o uso prático de mídias móveis como meios para a produção, documentação e difusão de atividades em mediação artística.

Oficina de Graffiti | Johny C. | 14h às 18h
Dias: 20, 21, 22, 23 e 24 (de quarta-feira a domingo)
A oficina visa ampliar o entendimento sobre a cultura do Graffiti, bem como despertar o fazer artístico e a capacidade de desenvolver técnicas mais avançadas através da manipulação dos materiais básicos.

Oficina de Roteiro | Marcelo Paes de Carvalho | 8h às 12h
Dias: 20, 21, 22, 23 e 24 (de quarta-feira a domingo)
O domínio teórico e técnico da expressão audiovisual, assim como o conhecimento crítico da forma como o cinema e a televisão influenciam.

Workshop Dobrinhas | Eva Duarte | 15h
Dias: 23 e 24 (sábado e domingo)
A devolução dos bichos ao Sítio Trindade. Durante duas tardes, vamos sentir o Sítio Trindade, conviver com sua fauna e flora e devolver em forma de dobraduras nosso sentimento como pequenas instalações de flores, frutos, pássaros, répteis e insetos de modelos e cores existentes ou não naquele habitat.

Workshop Caixinha Mágica | Ivana Borges | 16h
Dias: 23 e 24 (sábado e domingo)
Atividade lúdica onde os envolvidos vão criar suas próprias câmeras fotográficas artesanais, com vários modelos, customização e muita imaginação.

Workshop Brinquedo Monstrinho | Lia Letícia | 15h
Dia: 24 (domingo)
A ideia é propor as crianças trazerem aqueles brinquedos já escanteados ou quebradinhos para transformá-los num lindo monstrinho!

* Para participar das oficinas e workshops, o interessado deverá efetuar a sua inscrição antecipadamente no http://www.festivalartenoparque.com.br/cadastro/. Exclusivamente para estas ações educativas, o Arte no Parque oferece 20 vagas por atividade, que serão preenchidas por ordem de inscrição.

INTERVENÇÕES | PERFORMANCES |EXPOSIÇÃO | CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS | MOSTRAS DE CINEMA | GRAFFITI – Programação aberta ao público (sem inscrição)*

Intervenção Floreando Palavras | Ghustavo Távora | 15h
Dia: 23 (sábado)
Intervenção de fotografias de flores nos jardins, incentivando o público a escrever “Versos nos versos das Flores”.

Mostra de Cinema Parquinho | 15h
Dia: 23 (sábado)
Mostra de curtas-metragens com temática infantil.

Live Painting Colaborativo | 15h
Dias: 23 e 24 (sábado e domingo)
O público poderá colaborar com a pintura de painéis, usando a técnica do graffiti com orientações do professor de graffiti e designer Johny C.

Intervenção Borracha Livre no Parque | 15h
Dias: 23 e 24 de janeiro (sábado e domingo)
Intervenção da artesã AnaRosa Wanderley que utiliza a borracha como principal matéria-prima para suas criações. Em parceria com um fotógrafo convidado, os interessados serão fotografados com os acessórios produzidos pela artista para o carnaval. Divirta-se!

Exposição Coletiva de Fotografia Pernambucana | 15h
Dias: 23 e 24 (sábado e domingo)
Participação dos fotógrafos Victor Jucá, Francisco Baccaro, Gustavo Bettini, Joãomiguel Pinheiro, Ana Araújo, Teresa Maia, Marília Morais, Heudes Régis, Costa Neto, Rebeca Morais, Mila Pinheiro e Annaclarice de Almeida.

Plantio de Árvores | 16h
Dia: 23 (sábado)
Um ato de conscientização ambiental com distribuição e plantio de árvores floríferas para o público presente na ação.

Contação de Histórias | Adélia Flor | Com tradução para Libras | 16h
Dia: 23 (sábado)
Apresentar ao público de forma lúdica e criativa, assuntos como consciência ambiental e sustentabilidade. A atividade vai contar com tradutor de Língua Brasileira de Sinais (Libras).
* Em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife.

Performance Teatral Cordelina | Odília Nunes | 17h
Dia: 23 (sábado)
Uma mulher viajante segue com sua carroça cheia de segredos, estórias, amuletos, ossos e medicina popular que vão sendo revelados durante a performance/espetáculo.

Video Mapping | Mary Gatis | 18h
Dias: 23 e 24 (sábado e domingo)
Mapeamento de vídeo com a VJ Mary Gatis na faixada do Casarão Sítio Trindade com imagens/projeções do festival Arte no Parque.

Mostra de Cinema Pernambucano | 18h
Dias: 23 e 24 (sábado e domingo)
Mostra de curtas e longas-metragens pernambucanos.

Performance Poeiras Sonoras | Paulo Meira | 19h
Dia: 23 (sábado)
“Poeiras sonoras” é composta dos seguintes elementos: o performer, um drone, 15 rádios e uma transmissão radiofônica.

Intervenção Piracema Criativa | Ghustavo Távora | 15h
Dia: 24 (domingo)
Uma instalação com peixes muito coloridos, que podem ser usados de muitas formas como entretenimento e interatividade.

Intervenção Fotosinta-se Noronha |Ghustavo Távora | 15h
Dia: 24 (domingo)
Vivência foto-sensorial onde o público interage com os painéis fotográficos de Noronha, e são então fotografados pela turma Imaginautas.

Espetáculo Um Sonho de Cidade | Turma Mangue e Tal | Com tradução para Libras | 16h
Dia: 24 (domingo)
A encenação tem aproximadamente 40 minutos de duração. É um espetáculo lúdico onde as pessoas de todas as idades poderão interagir. A atividade vai contar com tradutor de Língua Brasileira de Sinais (Libras).
* Realização da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife.

Mostra Especial Fernando Spencer | 19h30
Dia: 24 (domingo)
Mostra homenageia o cineasta pernambucano Fernando Spencer.

FEIRA ARTE NO PARQUE | 15h
Dias: 23 e 24 (sábado e domingo)
Participação de Empreendedores Criativos, artistas, designers, fotógrafos, escritores e editoras independentes.

COMIDINHAS | FOOD BIKES | 15h
Dias: 23 e 24 (sábado e domingo)
Comidinhas saudáveis.

* Atividades abertas ao público. Não é necessária a inscrição prévia.

SHOWS – Programação aberta ao público (sem inscrição)

Dia: 23 (sábado)

Batuqueiros do Silêncio | 16h
Projeto Som da Pele de música para surdos. Com a ajuda de uma metodologia inédita e inovadora a MusiLibras, desenvolvida por Ras Batman Griô, onde as figuras de tempo musical utilizadas para escrever música, são reconhecidas através de um alfabeto em forma de sinais visuais.

Gilú Amaral | 18h
É tido como um dos melhores percussionistas de sua geração. Traz uma vasta experiência musical. Fundador da Orquestra Contemporânea de Olinda, do Grupo Instrumental Wassab e da Academia da Berlinda. O músico originário de Olinda vivencia a música desde a infância, conhecendo as estruturas rítmicas de músicas consagradas nos terreiros de Candomblé e de Cultura Popular. Vai apresentar seu show solo “Percursos”, em que explora todo seu conhecimento.

Isaar & Maciel Salú | 20h30
Com quase 20 anos de carreira levando a música de Pernambuco para o mundo, Maciel Salú e Isaar finalmente realizam um projeto que há anos era guardado a sete chaves: cantar juntos num projeto que traz as referências da música negra brasileira. Dessa união, com a bagagem cheia de histórias, Maciel e Isaar criam um novo espetáculo sem rótulos e rico de influências da música brasileira e mundial.

Dia: 24 (Domingo)

Lu Rabelo | 16h
A poeta, cantora e compositora Lu Rabelo reúne poemas e músicas de sua autoria. Guiada pela intuição, emoção, espontaneidade e experimentalismo, suas poesias e canções têm como motes a Natureza, as Paixões, a Poesia, o Tempo, o Ser.

Inconsciente Coletivo | 18h
Música instrumental formado por Carlos Pérez na bateria e percussão, Diego Drão nos teclados e José Lencastre ao sax. Desta mistura que nasce o eclético e dinâmico repertório que vai do jazz ao popular, sem fronteiras e em constante evolução.

Areia & Grupo de Música Aberta | 20h
Projeto instrumental do contrabaixista, compositor e produtor musical Walter Areia. O quarteto reúne no seu jazz brasileiro um pouco da sonoridade da música do oriente, trazida pelos portugueses, e as batidas africanas. Tocam inspirados por uma forma mais ancestral de improvisação, batizado por Areia de Música Aberta. Os motes reaparecem após cada solo, como faz o cantador nordestino com sua poesia.

Informações para imprensa: (81) 98853-3083

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.